Wicked e a privação do amor. Uma reflexão aos pais e cuidadores.

Posted on Posted in Infantil
wicked_musical_brasil_renault
Fonte: imagem de internet

 

Está em cartaz em São Paulo um dos musicais de maior sucesso na Broadway: Wicked. Inspirado na obra de Gregory Mcguire, tornou-se um dos musicais mais aclamados e premiados na história da Broadway.

Neste musical, temos a oportunidade de conhecer a história de vida de Elphaba (a bruxa que assombrava OZ). A temática proposta no musical é expor a verdadeira história da bruxa. Essa que desde seu nascimento não teve espaço em sua própria família, não conseguiu ser amada pelos pais, e cresceu sendo ridicularizada e marginalizada por todos da sociedade por ter a pele verde.

Se isso não bastasse, Elphaba ainda convive ao lado de Glinda (a fada boa) que contém todo o estereótipo de uma pessoa amada e desejada pela sociedade. Ou seja, tudo o que Elphaba desejaria ter tido: reconhecimento, amor, carinho, dentre outras coisas.

Mas porque um blog que se propõe a falar de Psicologia está comentando sobre um musical?

O musical Wicked muito faz lembrar o que um psicólogo e pediatra inglês1 já dizia desde 1956, que uma privação emocional, sentida pela criança, com certas características essenciais da vida familiar, pode gerar estragos muito significativos.

Podemos perceber que a personagem Elphaba foi vítima desta privação emocional. A falta de um lugar na família somada à falta de investimento afetivo dos pais e a hostilidade com que a própria sociedade de Oz lhe tratou fizeram com que a personagem crescesse com a certeza de que nada de bom poderia oferecer, uma vez que nada de bom acreditava ter em sí…

 E o que o musical pode nos ensinar?

 A peça nos permite refletir o quanto é importante proporcionarmos um ambiente acolhedor aos nossos filhos. A importância de que se sintam protegidos e amados. Que eles percebam que possuem um lugar seguro para crescer e obterem um espaço potencial para se desenvolverem psíquica e intelectualmente.

E o desfecho da história?

O final não poderia ser melhor. Aliás um final mágico, com muitas reviravoltas, amor, e ternura que reafirma o propósito da peça: nem todo mundo nasceu mal. E a grande questão é o porquê se tornaram maus.

Ficou curioso?

O musical Wicked fica em cartaz até setembro/2016 no Teatro Renault, em São Paulo. E é um ótimo programa para se fazer em família.

Imagem de Amostra do You Tube

 

Não construímos nada sozinhos! Neste texto foi utilizado como referência o seguinte artigo/mídias:

  1. WINNICOTT, D.W. (1956) A tendência antissocial. In: Da pediatria à Psicanálise. Rio de Janeiro: Imago, 2000.
  2. WICKED Brasil – ‘Venha Ver’ (One Short Day). Direção de Cena Musical. Produção de Cena Musical. Realização de Cena Musical. 2016. vídeo youtube, P&B. Vídeo livre do youtube. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ed52vNpx2VI>. Acesso em: 19 jun. 2016.

 

One thought on “Wicked e a privação do amor. Uma reflexão aos pais e cuidadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *